Skip to content

Causas de dor de cabeça

Causas de dor de cabeça

Dor de cabeça (cefaleia) é a condição neurológica mais prevalente e dentre os sintomas mais frequentemente vistos na prática clínica. Apesar do grande número de trabalhos sobre o tema ainda há dificuldades que devem ser consideradas, principalmente diante do subjetivismo do sintoma e sua interpretação entre os pacientes e os profissionais de saúde. Em geral, o paciente se lembra melhor da cefaleia mais recente ou da mais intensa e incapacitante. A simples mudança da pergunta “você tem ou teve dor de cabeça” para “você sofre ou sofreu de dor de cabeça” diminui a prevalência.Estima-se que 50% população geral tem um tipo de cefaleia durante um período determinado de um ano e mais de 90% refere história de cefaleia durante a vida. Quanto aos subtipos de dor, a média da prevalência da migrânea (enxaqueca) ao longo da vida é de 18% e a média estimada da prevalência durante o último ano de 13%, sendo que este número entre as crianças e os adolescentes é de 7,7%.

Esta doença foi ranqueada como a terceira doença mais prevalente no mundo e a sétima maior causa específica de incapacidade. A cefaleia do tipo tensional é mais comum que a migrânea, com prevalência ao longo da vida de aproximadamente 52%. Apesar de mais prevalente, apenas as cefaleias do tipo tensional frequente ou crônica reduzem a capacidade funcional por se tratarem de dores menos intensas quando comparadas à migrânea.

As cefaleias crônicas, ou seja, cefaleia em um número maior ou igual a 15 dias por mês, acometem cerca de 3% da população geral. Estes pacientes são os com maior  redução na sua capacidade funcional. Para fazermos um comparativo com outras patologias por hora muito mais “temidas” foi comprovado que a migrânea crônica reduz a “qualidade de vida relacionada a saúde” mais que a osteoartrite ou o diabetes e gera altíssimos custos diretos e indiretos. Somente os custos diretos foram estimados em 1 bilhão de dólares/ano nos Estados Unidos.

Dores de cabeça (cefaleias)  primárias

 1.1 Migrânea sem aura 9% ( 7-11)

1.2 Migrânea com aura 6% ( 5-8 )

2.1 Cefaléia tipo tensional episódica 66% ( 62-69)

2.2 Cefaléia tipo tensional crônica 3% ( 2-5 )

3.1 Cefaléia em salvas 0,1% ( 0-1 )

4.1 Cefaléia idiopática em facadas 2% (1-4 )

4.2 Cefaléia por compressão externa 4% ( 3-6 )

4.3 Cefaléia por estímulo frio 15% (12-17 )

4.4 Cefaléia benigna da tosse 1% ( 0-2 )

4.5 Cefaléia benigna do esforço 1% ( 0-2 )

4.6 Cefaléia associada a atividade sexual 1% ( 0-2 )

Tabela 1 : Prevalência ao longo da vida de todas as cefaleias primárias com 95% dos  limites de confiança entre parênteses

As cefaleias são divididas em primárias e secundárias.

As cefaleias primárias mais comuns são: enxaqueca, cefaléia do tipo tensional, cefaléia em salvas. Outras formas menos comuns de cefaleia primaria incluem a hemicrania continua, a cefaleia nova diária e persistente, cefaleia do esforço, cefaleia da tosse, cefaleia por estímulo frio, hemicrania paroxística crônica.

Especialistas em cefaleia geralmente tratam também de dores faciais, como a neuralgia do trigêmeo, dor facial atípica, e dor miofascial.

Cefaleias secundárias são aquelas causadas por alguma outra doença, tal como tumores cerebrais, traumatismo craniano, meningitesacidente vascular cerebral (derrame),hidrocefalia, e aneurismas.